terça-feira, 22 de Maio de 2018

Um par de satélites idênticos, do tamanho de dois carros esportivos, serão lançados com a missão de rastrear alterações na água e no gelo terrestres, oferecendo novo conhecimento sobre o aquecimento global e a elevação do nível do mar, informou a Nasa nesta segunda-feira (21).Água subterrânea, oceanos, lagos, rios e mantos de gelo serão monitorados pelo Seguimento do Experimento Climático e Recuperação da Gravidade (GRACE-FO, na sigla em inglês), uma missão conjunta entre a agência espacial americana (Nasa) e o Centro Alemão de Pesquisas em Geociências (GFZ).

O lançamento dos satélites está previsto para as 12h47 desta terça-feira (16h47 de Brasília), da base Vandenberg da Força Aérea americana, na Califórnia.

O foguete Falcon 9, da SpaceX, irá colocar os satélites em órbita, a 500 km da Terra.

A dupla de satélites voará a 220 km de distância um do outro.

A Nasa investiu US$ 430 milhões (R$ 1,58 bilhão) na missão e a Alemanha, cerca de US$ 91 milhões (R$ 335 milhões).

O novo par de satélites vai retomar as análises do ponto em que a primeira missão GRACE parou, em 2017, após 15 anos de serviço.

A primeira missão GRACE deu aos cientistas uma coleção valiosa de dados sobre a retração permanente da massa de gelo na Antártica e na Groenlândia, e gerou informação utilizada em milhares de artigos científicos, informou a Nasa.

quarta-feira, 16 de Maio de 2018

papa Francisco se declarou nesta quarta-feira (16) “muito preocupado” com a “espiral de violência” na Terra Santa, após a morte de quase 60 palestinos na segunda-feira na Faixa de Gaza.Estou muito preocupado com a escalada de tensão na Terra Santa e Oriente Médio e com a espiral de violência que afasta cada vez mais do caminho da paz, do diálogo e das negociações”, afirmou o pontífice ao final de tradicional audiência geral de quarta-feira.

sexta-feira, 11 de Maio de 2018

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohamad Javad Zarif, começará no sábado (12) uma viagem diplomática para tentar salvar o acordo nuclear após a retirada dos Estados Unidos, em um momento de grande tensão após os ataques israelenses na Síria.Zarif visitará Pequim, Moscou e Bruxelas para falar sobre as maneiras de salvar o acordo, afirmou à AFP seu porta-voz.

O Irã está em uma posição delicada. O país deseja demonstrar firmeza após a decisão do presidente americano Donald Trump e dos ataques israelenses, enquanto tenta obter o apoio europeu para a continuidade do acordo. O acordo de 2015 estabeleceu o compromisso do Irã de abandonar as atividades nucleares em troca da retirada de parte das sanções internacionais contra sua economia.

Nesta sexta, o presidente russo Vladimir Putin e a chanceler alemã Angela Merkel se declararam favoráveis, durante uma conversa por telefone, a manter o acordo nuclear.

Ambos “destacaram a importância de preservar o acordo para a segurança internacional e regional”, informou o Kremlin em um comunicado, uma semana antes de uma visita de Merkel a Moscou.

Após Trump anunciar a sua decisão, a União Europeia disse que continuará comprometida com o acordo e que fará com que as sanções impostas ao regime continuem suspensas contanto que Teerã cumpra seus compromissos.

terça-feira, 01 de Maio de 2018

O príncipe William e sua esposa Kate Middleton registraram formalmente o nascimento do filho Louis nesta terça-feira (1º), pouco mais de uma semana depois da chegada do mais recente membro da família real britânica.

Príncipe Louis Arthur Charles, o terceiro filho do casal, junta-se a seu irmão George, 4, e sua irmã Charlotte, 2, e se torna o quinto na linha de sucessão ao trono. Ele nasceu segunda-feira (23) da semana passada.Nesta terça-feira, William e Kate, conhecidos formalmente como duque e duquesa de Cambridge, assinaram o registro no Palácio de Kensington, na região central de Londres, na presença de um oficial de Escritório de Registro de Westminster.

Todos os recém nascidos no Reino Unido devem ser registrados, com detalhes dos pais e suas ocupações. William e Kate listaram suas funções como príncipe e princesa do Reino Unido.

domingo, 29 de Abril de 2018

Os libaneses que moram no exterior começaram votaram neste domingo (29) na primeira eleição parlamentar realizada pelo país em nove anos.Essa é a primeira vez que libaneses são autorizados a votar no exterior. A votação está programada para ocorrer em 33 países.

Milhões de libaneses vivem no exterior, mas a agência estatal de notícias do Líbano afirma que o número de eleitores registrados é de 82.970. A votação dentro do Líbano será realizada no próximo domingo (06).

A Austrália tem o maior número de eleitores registrados, com cerca de 12 mil. Na sequência, aparecem o Canadá (11.438) e os Estados Unidos (10 mil).

No Brasil, a estimativa é que cerca de 1,5 mil expatriados libaneses devem votar.

“A votação de hoje é muito importante porque pela primeira vez teremos voz nos assuntos libaneses”, disse Leila Smidi, de 30 anos e mãe de quatro filhos, que mora no Brasil há 11 anos, após deixar o consulado em São Paulo.

Os imigrantes libaneses e seus descendentes formam uma comunidade estimada em cerca de 7 milhões – maior que a população do Líbano de cerca de 4,5 milhões. Imigrantes libaneses começaram a chegar ao Brasil no final do século 19, fugindo do império turco-otomano que dominava grande parte do Oriente Médio.

O parlamento do Líbano tem 128 integrantes e é dividido igualmente entre muçulmanos e cristãos.

segunda-feira, 23 de Abril de 2018

Vaticano acaba de abrir as portas para seu curso anual de exorcismo em meio a uma demanda crescente de comunidades católicas ao redor do mundo.

Cerca de 250 padres, vindos de 50 países, chegaram a Roma para, entre outras coisas, aprender a identificar uma “possessão demoníaca”, ouvir testemunhos de colegas e conhecer os rituais para a “expulsão de demônios”.A prática é polêmica, em parte pela forma como é apresentado na cultura popular – particularmente, em filmes de terror. Mas também houve relatos de abusos cometidos em sessões de exorcismo em várias seitas religiosas diferentes.

O curso do Vaticano, com cerca de uma semana de duração, é denominado “Exorcismo e a Oração da Libertação” e começou a ser ministrado em 2005. Desde então, o número de alunos dobrou. O custo é de 300 euros (cerca de R$ 1,2 mil) e o currículo inclui abordagens da teologia, psicologia e antropologia.

Por que a demanda está aumentando?

Padres católicos de diversos países disseram à imprensa terem notado um aumento no número de fiéis relatando sinais de “possessão demoníaca”.

No ano passado, o Papa Francisco disse a clérigos que eles “não deveriam hesitar” em encaminhar casos para exorcistas ao notarem “distúrbios espirituais genuínos”.