quinta-feira, 01 de Março de 2018

Na área de 17 hectares, no Dom Helder Câmara (Cohab 3), em Garanhuns onde está localizada a (CIELA – Célula Industrial Empresarial Logística Ampliada), o que se vê por todos os lados é revolta. Empresários e moradores estão indignados com a situação da área que deveria está empregando mais de duas mil pessoas. Ruas esburacadas, escuridão, um local verdadeiramente abandonado.

As áreas doadas pelo governo municipal estão sendo utilizadas pelos empresários para que casas sejam construídas e posteriormente vendidas, e o pior, servindo para que metralhas sejam colocadas, tirando do local a visão de desenvolvimento.Estou indignado, isso não pode acontecer. É inadmissível que coisas desta natureza aconteçam aqui no Distrito Industrial de Garanhuns. O pior é ver os terrenos serem usados para colocar metralhas. Estão alugando os terrenos que deveriam servir para abrigar empresas para que sejam colocadas metralhas, isso é o cúmulo,” disse um dos empresário que não quis se identificar.

As imagens mostram claramente alguns dos terrenos que foram doados servindo para que empresas de construção despejem barro e metralhas. Grande parte do CIELA está sendo utilizada de forma irregular.

Essa é a situação. Os empresários estão fazendo o que querem aqui.  Não se tem fiscalização por parte do poder público, não se tem interesse em mudar esta situação. É triste ver que um Distrito Industrial está entregue ao Deus dará. Me diga, isso parece com um local que deveria empregar mais de três mil pessoas?  As ruas estão nesta situação, quando chove é um Deus nos acuda, não tem carro que passe, os postes de cada dez só três acendem”, pontuou outro empresário que também pediu anonimato.Moradores do Loteamento Ex-prefeito Zí Ferreira (Lulão) estão indignados com a situação, foram prometidos diversos empregos, e até o presente momento apenas 60 pessoas estão empregadas. Ao menos três empresas estão operando, e dividem as ofertas de emprego.

Estou sem saber o que fazer, já contratei o quanto eu podia e e até o que não podia. Nas nossas empresas todos os dias ficam vinte, trinta e até mais pessoas cobrando emprego da gente, só que não temos mais para onde correr, quem devia nos ajudar [demais empresários], não nos ajudam, ficam só construindo casas nos terrenos, alugando e vendendo, é uma vergonha. Atenção prefeitura, atenção!”, pontuou um dos empresários. “A situação está difícil. Esses empresários deveriam nos ajudar, estamos passando necessidade porque não temos emprego. Além do mais, esses que ganharam pegam os terrenos, constroem, alugam, vendem e pros moradores dão banana. Desde 2016 que estamos esperando as empresas virem se instalar, mas os empresários, estão usando de forma irregular os locais que deveriam dá trabalho aos populares e posteriormente sanar as necessidades. É uma vergonha,”, disse dona Sandra moradora da localidade.Empresários e moradores aguardam tão somente que a Prefeitura de Garanhuns, através da secretaria responsável possa tomar às devidas providências o mais rápido possível. Nos colocamos a inteira disposição do Governo Municipal caso deseja se pronunciar diante da situação.

 

quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2018

DO AGRESTE EM ALERTA

Após as matérias que denunciam a indignação da população de Garanhuns quanto ao mal atendimento em alguns pontos de saúde, mais pessoas resolveram abrir o verbo e expor sua indignação diante de tantos absurdos que regem a saúde da cidade.Equipes nos postos de saúde estão se virando como podem com a falta de médicos. Recebemos áudios de pessoas que se encontram nesse momento em situações terríveis, necessitando dos serviços públicos no atendimento de PSFs e acabaram de saber que médicos saíram de férias e não foram substituídos.

Acredita-se que quando casos de afastamento de profissionais, por algum motivo, tenha que ser feito planilha de atendimento principalmente para que os pacientes não sejam prejudicados. Em sua maioria são crianças com a saúde prejudicada, que são levados pelos pais para auxílio no postos e se deparam com o consultório vazio. E agora? O que podemos esperar? Já não basta a violência assolando o país? O que poderíamos ter de mais precioso seria nossa saúde e não temos?

Entraremos em contato com a Secretaria de Saúde e vamos expor todas as denúncias que recebemos e assim obter informações do que está acontecendo.

“Bom dia acabei de chegar do posto de saúde daqui d COHAB 2 chegando lá para marcar uma consulta me disseram que o médico estava em férias e não tinha substituto para ficar no lugar dele e os outros médicos que se encontrava lá não podem atender paciente de outro posto isso é um absurdo sendo todos no mesmo prédio”, disse o denunciante em mensagem enviada ao portal.

(Imagem: reprodução/internet)

quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2018

A redação do Portal Agreste em Alerta foi procurada por algumas pessoas que passam por problemas na rede de atendimento público de saúde da cidade de Garanhuns. Segundo os usuários do Transporte Fora de Domicílio (TFD), existem funcionários que não estão sabendo lidar com as dores das famílias que necessitam dos serviços.Ocorre que em sua maioria, pacientes são submetidos a horas de espera e ficam expostos a situações de desgaste na capital de Pernambuco. Muitas das vezes são pessoas com necessidades especiais e com doenças de tratamentos graves onde precisam de um diferencial no deslocamento. Mas o que acontece é que existem funcionários que, aparentemente, não estão preocupados com o que o usuário passa; desde o pedido da viagem até o deslocamento final de retorno.Tive sérios problemas dias atrás com minha criança, onde o seu estado é delicado devido a uma doença que necessita tratamento no IMIP em Recife. Por não poder estar  exposta ao sol e tão pouco alimentar-se de comidas servidas nas ruas, tenho que aguardar por muito tempo o retorno do transporte e as longas demoras nas viagens. Sei que existem casos e casos, mas dia desse tipo que pedir um transporte para ir com minha criança e me vi numa situação terrível. A Assistência Social me decepcionou e o tratamento que recebi me deixou indignada. Sou mãe, esposa, dona de casa e sofro com o sofrimento da minha criança e por isso exijo o mínimo de respeito para comigo e meus familiares, coisas que não vi da parte de uma senhora que atende no departamento do TFD. Me sinto abandonada, humilhada e principalmente esquecida. Será que essas pessoas pensam que nunca ficarão doentes? Será que o diploma tinha mesmo a verdade quando foi falado o juramento: Juro no exercício da minha profissão ter compromisso ético e profissional com a sociedade para ampliação e fortalecimento da cidadania. Contribuir para a defesa e garantia dos direitos sociais…? ” Desabafou uma cidadã que necessita dos serviços e está passando por um processo de saúde muito difícil em família.Sabemos que existem Leis que asseguram cidadãos que necessitam de atendimento com deslocamento para outras cidades. É de responsabilidade do Governo Municipal atender bem e ter transportes adequados para o trajeto de pacientes para outras unidades de saúde, tendo em vista a falta de atendimento ou materiais que possam assegurar a vida de uma pessoa na própria cidade em que administra. Nesse caso há possibilidade do usuário buscar apoio jurídico e exigir uma indenização a Prefeitura Municipal por danos morais e constrangimento.

Portanto, nós que fazemos este Portal, estamos sempre a disposição da população, bem como dos setores de saúde caso queiram esclarecer quaisquer acontecimentos expostos pela população.

quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2018

Uma mulher compareceu terça-feira, (20/02), na audiência prestação de contas da Saúde Municipal referente ao terceiro quadrimestre de 2017 para fazer uma denúncia. Diabética e com sérios problemas decorrentes da doença, Mônica Carvalho está há dois anos tentando pegar gratuitamente na farmácia do município fitas para medir a glicose. “Já fui três vezes na farmácia da prefeitura só esse ano e não consigo o material. Nem no postinho da Liberdade tá chegando fita pra medir a glicose dos pacientes. Quando chega no posto não dá pra todo mundo porque a quantidade de diabéticos é grande. Eu preciso baixar a glicemia então tenho ter as fitas para medir a glicose quatro vezes ao dia e não estou tendo, correndo o risco de ficar cega por conta da negligência do município”, disse.  A secretária de Saúde Nilva Mendes revelou que a responsabilidade pela distribuição dos glicosímetros e fitas de medição da glicemia é do Governo do Estado e não da Prefeitura de Garanhuns. Segundo ela, o estado tá sem esse material para Garanhuns e para os demais municípios do Agreste Meridional, o que põe em risco a saúde da população. “Vamos pra reunião e cobramos do estado, mas dizem que estão em processo licitatório para aquisição desse material. Tendo em vista esse atraso, o município também vai comprar essas fitas. Não vamos deixar as pessoas morrerem porque o estado está pecando”, revelou Nilva.

(Do V&C Garanhuns)

segunda-feira, 08 de Janeiro de 2018

Um morador e leitor do Agreste em Alerta, identificado como sendo Marquinho, do bairro Indiano, contactou na manhã desta segunda-feira (08), relatando  a sua indignação por conta dos esgotos entupidos na rua Mário Lira, no bairro. Segundo ele, o esgoto da rua citada estão entupidos trazendo transtorno para os que residem na via.Dejetos estão visíveis, o mal cheiro e o receio de contrair doenças são alguns dos pontos mais citados pelos moradores. Daqui nos unimos ao Blog Agreste em Alerta para cobrar mais uma vez do órgão responsável, que de acordo com a Prefeitura é a COMPESA para que realize o trabalho o mais rápido possível.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Após grande repercussão em relação ao caso da merendeira que agrediu uma criança em creche municipal, a Prefeitura de Garanhuns, através da Secretaria de Educação (SEDUC), emitiu uma nota, informando que irá afastar a acusada e que abrirá processo administrativo contra a funcionária efetiva e contra a direção da creche.De acordo com a mãe do garoto de cinco anos, ele foi levado para a escola, ao chegar na instituição foi colocado de castigo, levado para a cozinha, sendo agredido pela merendeira da unidade com socos e beliscões.  (RELEMBRE AQUI).

Por volta das 20h40, a Secretaria de Comunicação (SECOM), enviou à redação do JI uma nota, informando que todas as providências serão tomadas, e que a merendeira será afastada. Confira;

Nota de esclarecimento

da ASSESSORIA DE IMPRENSA
13 de dezembro de 2017

A Secretaria de Educação de Garanhuns informa que agiu imediatamente após ter conhecimento da denúncia de que uma merendeira teria agredido fisicamente uma criança na Creche. A Secretaria solicitou a abertura imediata de processo administrativo e o afastamento da servidora, que é efetiva. Serão alvos do processo administrativo tanto a servidora acusada quanto a gestora da unidade de ensino. O procedimento policial deverá ocorrer normalmente. Mais uma vez a Secretaria de Educação declara que repudia qualquer ação que não seja em prol da formação de cidadãos de bem para a sociedade.