sábado, 06 de maio de 2017

A Polícia Civil de Pernambuco deflagrou em Caruaru na manhã desta sexta-feira (05), a “Operação Igarapé” para combater o furto de água da tubulação da Compesa, próximo ao Sítio Terra Vermelha, que traz a água da barragem do Prata de Bonito para Caruaru. A ação tinha como objetivo dar cumprimento a 03 Mandados de Prisões Temporárias e 18 Mandados de Buscas e Apreensões Residenciais e contou com o trabalho de 110 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães, além de quatro peritos do Instituto de Criminalística (IC) e uma equipe  de representantes da Compesa.O delegado chefe da Dinter-01, Nehemias Falcão, disse que o resultado foi além da expectativa e que foram realizadas mais de cinco prisões e apreensões de armas de fogo como revólveres, espingarda de grosso calibre e munições. Ele disse que constatou in loco algumas empresas furtando a água da tubulação de forma descarada e que segundo os técnicos da compesa essa água desviada era suficiente para abastecer uma cidade de 100 mil habitantes. Ele disse ainda que a empresa Água Santa Adélia, estava desviando uma grande quantidade d’água, disse que essa água era vendida para ser transportada em carros pipa, que foi encontrada uma central de tratamento, mas apesar das evidências, ele não confirmou se essa água estaria sendo comercializada em botijões de 20 litros de água mineral. O resultado da operação só será apresentado na próxima semana.O delegado Luiz Bernardo, que apesar de ter saído da 3ª Delegacia de Caruaru e assumido a Seccional de Garanhuns, é quem preside o inquérito e irá continuar chefiando as investigações. Ele deu início ao processo investigativo desde o mês de novembro do ano passado após ter sido procurado pela Compesa.

Pelo menos três empresários foram presos e não tiveram os nomes divulgados. Eles e os demais serão submetidos a exames traumatológicos e serão encaminhados à Penitenciária Juiz Plácido de Souza ainda hoje.

(Agreste Violento)